Escolha uma Página

E aí, tudo certo?

O objetivo deste artigo é dar a você uma explicação sobre as fórmulas que nossa tecnologia utiliza automaticamente nas avaliações de força realizadas.

Vamos lá!

Desvio Padrão

Desvio padrão é uma medida de dispersão, ou seja, que indica o quanto o conjunto de dados é uniforme. No caso do E-lastic, o desvio padrão indica a variação de força ao longo das avaliações de força realizadas.

Etapa 1: Nesta etapa calculamos a média do conjunto de dados, ou seja, é calculada a força média das avaliações ou funcionais realizados.

Etapa 2: Nessa etapa, calculamos a diferença entre cada força registrada e a força média, e o quadrado de cada uma dessas diferenças. cada uma dessas diferenças. Ou seja, é calculado o quadrado dos “desvios” de força (diferença entre a força e a força média). Os desvios são elevados ao quadrado para que não haja números negativos.

Etapa 3: O símbolo  significa “somatório”, então nessa etapa vamos somar todos os valores encontrados na etapa anterior (quadrado dos “desvios” de força).

Etapa 4: Nessa etapa, dividimos o resultado obtido na etapa 3 pela variável N, total de avaliações ou funcionais realizados.

Etapa 5: Agora, é só calcular a raiz quadrada da resposta da Etapa 4 e terminamos. A raiz quadrada aqui fará a correção dos valores elevados ao quadrado na etapa 2. 

Exemplo:

Jonas realiza avaliações de força em sua  paciente Luciana 3 vezes na semana. Os dados registrados foram:

  • segunda-feira 50 kg
  • quarta-feira: 57 kg
  • sexta-feira: 52 kg
  • A força média de Luciana é de 53 kg
  • O desvio padrão é de 2,94 kg

Logo, é possível afirmar que a força média de Luciana na semana foi de 53 kg e que houve uma variação de força ao longo da semana no intervalo de + ou – 2,94 kg.

Coeficiente de variação

O Coeficiente de Variação (CV) é uma medida relativa de variabilidade e é independente da unidade de medida utilizada.No E-lastic, o CV compara como o histórico de força do paciente difere da média de força dele mesmo.

O coeficiente de variação é o desvio padrão expresso como uma porcentagem média.

Exemplo:

Jonas realiza avaliações de força em sua paciente Luciana 3 vezes na semana e pretende comparar o histórico de avaliações dessa semana quanto à sua variabilidade.

Após Luciana realizar suas três avaliações, o desvio padrão de força encontrado foi de 2,94.

Sabendo-se que a média de força de Luciana é 53, seu coeficiente de variação é 5,55%. Ou seja, em relação ao seu histórico da semana, a força de Luciana variou apenas 5%, os movimentos executados foram precisos e possuem variação baixa.

Usando as fórmulas no Relatório de Assimetria

A imagem abaixo demonstra como as fórmulas mostradas neste artigo são utilizados para o cálculo do relatório de assimetria no app E-lastic.


É isso!

Ainda tem dúvidas? Fique à vontade para nos mandar uma mensagem.

Até a próxima!